Por que a interconexão está decolando na América Latina

Eduardo Carvalho

O Global Interconnection Index projeta que a América Latina terá o crescimento mais rápido em todo o mundo, contabilizando 62% .

As notícias sobre o crescimento do produto interno bruto da América Latina (LATAM) no segundo trimestre, com aumento de 1,1% em termos anuais – um dos melhores resultados em mais de três anos – confirmam que a recuperação econômica da região está se fortalecendo cada vez mais. Esta pode ser uma das muitas razões pelas quais o Global Interconnection Index, um estudo de mercado publicado pela Equinix, prevê que a América Latina será a região com maior crescimento em todo o mundo em termos de interconexão, podendo crescer 62% anualmente entre 2016 e 2020.

Hoje, a América Latina é a menor região em termos de capacidade estimada de velocidade de interconexão, com 154 Terabits por segundo (Tbps) instalados em 2017. Até 2020, o estudo projeta que a América Latina pode alcançar 626 Tbps, representando 13% da capacidade mundial de velocidade de interconexão instalada. A velocidade de interconexão é definida como a capacidade total provisionada para troca de tráfego em modo privado e direto com um conjunto diversificado de contrapartes e provedores em pontos de troca de TI distribuídos geograficamente.

Conforme as infraestruturas de TI são construídas (data centers, cabos submarinos) e as políticas na região tornam-se mais favoráveis aos negócios, o crescimento da interconexão deve acelerar na mesma proporção. Tomemos como exemplo as seguintes tendências que conduzem este aumento no crescimento da interconexão na América Latina:

  • Até 2020, espera-se que as compras em dispositivos móveis representarão 34% do comércio eletrônico no Brasil.
  • Os investimentos em cabos submarinos estão crescendo muito na América do Sul. Somente os investimentos anunciados em 2016 são equivalentes ao montante de todos os investimentos anunciados nos últimos cinco anos, juntos! Isso é resultado de um crescimento exponencial do tráfego da internet, especialmente de conteúdo e provedores de cloud, o que representa uma mudança no modelo tecnológico de negócios. No passado, a construção de cabos submarinos era principalmente liderada por empresas de telecomunicações. Hoje, grandes conteúdos e hyperscalers de dados como Google, Netflix e Facebook estão investindo em suas próprias infraestruturas de sistema de cabo submarino.

Os setores, casos de uso e mercados estratégicos conduzindo o crescimento da interconexão na América Latina

O Global Interconnection Index prevê que o crescimento da capacidade de velocidade de interconexão deverá exceder 50% da taxa composta de crescimento anual entre 2016 e 2020 em todos os setores da América Latina, exceto em telecomunicações, que já tinha uma base alta. Espera-se que o setor de bancos e seguros ultrapasse os setores de cloud e de serviços de TI como o maior setor, representando 27% de toda a capacidade de velocidade de interconexão da América Latina em 2020. Isso deve-se ao fato de que o personal banking está agora disponível nos formatos móvel e digital, liderando o setor de bancos de varejo para antecipar inovações que irão personalizar e aprimorar a experiência do cliente, os legados de modelos de negócios obsoletos e controle de custos. Os negócios nesse setor devem adotar novas estratégias para permitir o rápido desenvolvimento e produção de ofertas de serviços financeiros inovadoras e orientadas para o cliente, e que atendam às suas crescentes expectativas.

O setor de conteúdo e de mídia digital representa o terceiro maior setor em termos de crescimento anual de capacidade de velocidade de interconexão, estimado em 65% até 2020. Em geral, o Brasil é um dos países de maior adesão ao Facebook e à mídia digital. Por exemplo, mais de 100 milhões de usuários compartilham seus momentos no Facebook: 90% deles, diariamente, por meio de um dispositivo móvel. Assim sendo, provedores de conteúdo e de mídia têm de adaptar-se e investir em redes sociais e outras tecnologias para entregar a melhor experiência de usuário final a seus clientes, que estão consumindo e interagindo com seus produtos e serviços.

Até 2020, o principal caso de uso entre empresas e provedores de serviços para a capacidade de velocidade de interconexão é conectar-se aos provedores de rede (taxa composta de crescimento anual de 181%), seguido pela conexão com provedores de cloud e de serviços de TI (taxa composta de crescimento anual de 91%). O aumento na adoção de cloud, e o fato de que os provedores de conteúdo e de mídia digital precisarão regionalizar seu conteúdo para melhor servir ao mercado local da América Latina, usando latência mais baixa e qualidade mais elevada de capacidades de interconexão, está conduzindo esse crescimento.

O crescimento da interconexão em áreas metropolitanas como São Paulo, Rio de Janeiro, Cidade do México e Buenos Aires é bastante consistente, com taxa composta de crescimento anual média de cerca de 63%. No entanto, estima-se que essas áreas metropolitanas brasileiras combinadas componham mais de 67% do total da capacidade de velocidade de interconexão para a região até 2020. São Paulo e Rio de Janeiro são as duas áreas metropolitanas econômicas mais importantes no Brasil ꟷ São Paulo (32%) e Rio de Janeiro (12%). Juntas, representam quase metade do PIB do país. Vale ressaltar que quase 70% da capacidade de data center e colocation no país está localizada dentro de um raio de 120 km de São Paulo e do Rio de Janeiro, mesmo que o Brasil tenha 26 áreas metropolitanas com uma população de mais de um milhão.

O que isso tudo significa para o seu negócio?

Na Equinix, vemos um potencial enorme de expansão global de interconexão de empresas da América Latina. Por exemplo, considere o recente boom da construção de cabos submarinos entre os Estados Unidos (EUA) e o Brasil por provedores de serviços de rede como a Seaborn Networks. A Seaborn fez uma parceria conosco para abrir a primeira rota de cabo submarino de alta capacidade (Saebras-1) entre os EUA e os centros comerciais e financeiros brasileiros. Além disso, a Bolsa Mexicana de Valores (grupo BMV) foi a primeira bolsa de valores da América Latina a implantar um ponto de presença nos EUA por meio do data center da Equinix, localizado em Secaucus, NJ, ꟷ devido a seu acesso aos maiores polos de serviços financeiros dos EUA para seus clientes.

Aproveitando as informações fornecidas pelo Global Interconnection Index, você pode identificar áreas de crescimento para seu negócio por geografia, caso de uso e vertical para construir uma estratégia que priorize a interconexão para seu negócio digital. Saiba mais lendo o Global Interconnection Index.

Eduardo Carvalho
Eduardo Carvalho Managing Director / Presidente - Brasil