Levando os negócios digitais para a edge

O Global Interconnection Index Volume 3 revela como as empresas estão levando, anualmente, mais de 50% dos dados para a edge

Steve Madden

A economia digital global será composta por ecossistemas digitais…
…representando mais de US$ 60 trilhões em receita até 2025
– McKinsey

O volume de troca de dados entre empresas do ecossistema na edge está aumentando…
…com previsão de 80 zettabytes até 2022
– IDC

A Interconexão privada entre as empresas se faz necessária para aumentar o desempenho e a segurança…
…o que leva a Velocidade de Interconexão a ter um volume 13 vezes maior que o tráfego da Internet global
– The Global Interconnection Index

Todos estes estudos do mercado representam uma mudança avassaladora em todos os setores mundiais: de maneira inédita, as empresas estão tirando a computação dos data centers centralizados e levando para uma infraestrutura híbrida na edge para, assim, criar, consumir e trocar dados mais rapidamente e em locais mais distribuídos. Por esse motivo, o Gartner também prevê que até 2022, mais de 50% dos dados gerados pelas empresas serão criados e processados fora do data center ou da cloud.[i]

Esse movimento está aumentando exponencialmente a necessidade da Interconexão entre empresas para viabilizar a troca de dados privados em ecossistemas na edge. Uma pesquisa independente recente da APCO Insight com 2.485 decisores de TI em diversas empresas nas Américas, EMEA e Ásia-Pacífico, mostrou que quase metade (45%) dos decisores globais de TI acredita na importância da Interconexão para a continuidade dos negócios. E 48% do total de decisores de TI apontam a Internet como um facilitador fundamental para a transformação digital. [ii]

Para ajudar a acelerar o crescimento dos negócios digitais e equipar as organizações para que possam experimentar todo o poder da Interconexão, publicamos o Global Interconnection Index (GXI), um relatório que mensura e projeta o crescimento da Velocidade de Interconexão privada global, necessária para ajudar as empresas a prosperarem nos negócios digitais. O terceiro volume do GXI demonstra que, assim como a digitalização da economia global, a capacidade instalada de Velocidade de Interconexão também está aumentando em todo o mundo, com previsão de mais de 13.300 Tbps até 2022.[iii] Pela estimativa, esse número representa 51% de taxa composta de crescimento anual em todo o mundo — 7% acima das projeções do ano passado.

Na verdade, a Interconexão está superando amplamente todas as outras opções por ser eficiente em termos de redução da latência, aumento da segurança e redução dos custos. Até 2022, estima-se que o crescimento da Velocidade de Interconexão dobre o pico do tráfego de Internet global, chegando a um volume 13 vezes maior. Isso representa 53 zettabytes (ZB) por ano ou o equivalente ao processamento de 10 bilhões de e-mails com anexos em um minuto!

Interconexão: O que está impulsionando os negócios digitais?

Por meio de acompanhamento, medições e previsões para o crescimento da Velocidade de Interconexão, o GXI Vol. 3 fornece insights que geram vantagens para os negócios digitais. O relatório analisa o perfil de adoção de milhares de provedores e participantes de data centers de colocation carrier-neutral em todo o mundo. Com mais de 4.000 implementações examinadas em quatro regiões (América do Norte, América Latina, Europa e Ásia-Pacífico), o GXI fornece insights valiosos sobre como as maiores empresas de 11 grandes setores otimizam sua infraestrutura de TI para gerar valor para os negócios na digital edge. Usando a Velocidade de Interconexão como unidade oficial de medida de integração e crescimento digital das empresas, você pode comparar a expansão de diferentes negócios digitais pelas regiões geográficas, setores e contrapartes do ecossistema, com a transformação digital da sua empresa.

O GXI também apresenta insights que ilustram lições valiosas aprendidas após 20 anos de trabalho com quase 10.000 empresas e provedores de serviços. Elas estão na linha de frente da disrupção digital, lutando com a crescente demanda dos negócios, buscando trocar de forma direta e segura quantidades cada vez maiores de dados entre diferentes operadoras, redes, regiões e países. A partir de experiências reais, essas empresas demonstraram que a Interconexão de baixa latência é simplesmente a maneira mais lucrativa de movimentar volumes de dados entre empresas na edge porque:

  • A distância é o maior destruidor de desempenho das aplicações digitais — as atuais cargas de trabalho sensíveis à latência exigem tempos de resposta que variam de <60 a <20 milissegundos.
  • As empresas precisam eliminar a distância entre usuários e sistemas de TI e clouds para se manterem competitivas e impulsionar o desempenho de aplicações, bem como a experiência do usuário.
  • A edge é um importante catalisador de negócios digitais e aproveitar ao máximo a Interconexão privada em locais estratégicos da edge aumenta ainda mais seu valor.

O GXI também lista cinco etapas cruciais que, quando combinadas, formam um modelo de maturidade de Interconexão para que sua empresa esteja preparada para a era digital. Tais informações úteis podem lhe ajudar a desenvolver uma plataforma de negócios digitais revolucionária que potencialize sua posição na digital edge para que, então, você possa oferecer um novo valor aos seus clientes, funcionários e parceiros em uma escala global.

E, pela primeira vez, o Volume 3 do GXI detalha os resultados da análise dos padrões globais de implantação e Interconexão de 450 clientes da Equinix, que podem lhe ajudar de forma mais eficiente e econômica a acelerar a transformação digital de sua empresa.

Tendências que impulsionam a transformação digital pelo mundo

Na era digital de hoje, tendências macro, tecnológicas e regulatórias – como negócios digitais, urbanização, cibersegurança, volumes de dados e conformidade –, bem como os ecossistemas de negócios, convergiram para formar uma era sem precedentes de complexidade e risco. O GXI discorre sobre a análise do crescimento da Velocidade de Interconexão e o impacto dessas macrotendências em várias regiões geográficas. Dependendo da maturidade digital da região, as previsões para as taxas de crescimento da Velocidade de Interconexão podem variar. Até 2022, a América do Norte deve liderar o ranking mundial de Velocidade de Interconexão, dominando 38% do mercado total, seguida pela Europa, com 22%. Ao longo de cinco anos, a América Latina e a Ásia-Pacífico – regiões com as mais altas taxas de crescimento em Interconexão – terão um salto de 8% para 11% (América Latina) e de 25% para 29% (Ásia-Pacífico).

Mix regional de capacidade instalada de Velocidade de Interconexão

O GXI Vol. 3 fornece uma análise aprofundada dos cenários de implantação de Interconexão nas seguintes regiões:

Crescem as interconexões entre consumidores e produtores, que lideram os negócios digitais

À medida que a digitalização da economia global avança, o sucesso na interação e troca de dados entre consumidores e produtores digitais depende do que acontece na edge, em que a proximidade elimina a distância entre eles para garantir o melhor desempenho. Ao mesmo tempo, as diferenças entre consumidores e produtores estão diminuindo, tornando as classificações de verticais padrão do setor secundárias ao protagonismo de qualquer empresa na condição de negócio digital. Empresas que antes consumiam serviços digitais agora também trabalham na produção de produtos digitais e os monetizam com clientes novos e existentes em diversos setores. Por exemplo, uma empresa que tradicionalmente consumia e analisava dados de satélite sobre o clima do planeta, mas que agora também divulga esses dados como informações úteis para os setores de viagens, seguros e varejo – temos aí um negócio digital.

O GXI estima que, até 2022, os consumidores digitais responderão pela maior parte (56%) da capacidade de Velocidade de Interconexão. A projeção para os consumidores digitais é de uma taxa de crescimento sete vezes maior, que ultrapassa a dos produtores (4x).

Consumo global de Velocidade de Interconexão por Consumidores e produtores digitais

Ao ler o GXI, você verá quais setores apresentam a maior taxa de crescimento entre consumidores e produtores digitais. Também saberá qual dentre os cinco setores responde por 72% do total do mix mundial de Velocidade de Interconexão.

A distribuição da Interconexão por ecossistema revela as interconexões que definem os negócios de hoje

À medida que os participantes do mercado se tornam mais digitalizados, novos ecossistemas digitais são criados, mas com uma combinação de players bem diferente. Estudando os padrões de implantação de Interconexão entre empresas (empresas e provedores de serviços) e parceiros de ecossistema, podemos aprender muito sobre como as empresas estão usando a conectividade para obter um valor maior e aproveitar novas oportunidades que talvez não fossem capazes de alcançar por conta própria.

O GXI revela quais tipos de empresas estão se conectando entre si. Essas interconexões com parceiros de ecossistema específicos também revelam um alinhamento com as cinco etapas transformacionais que todos os líderes digitais devem seguir diligentemente (em sequência ou ao mesmo tempo) para superar os desafios da transformação da TI e estar preparada para a era digital:

1ª etapa: Otimização da rede
As Operadoras são o canal usado pelas empresas para interagir e realizar a troca de tráfego de dados e, por isso, a conexão privada com várias operadoras para uma maior otimização da rede deve ser o caso de uso predominante (66% do mix).

2ª etapa: Multicloud híbrida
A interconexão com Servidores de cloud e TI em locais distribuídos e regiões de cloud é o uso de Velocidade de Interconexão que mais cresce, com taxa composta de crescimento anual de 112% para a vertical Enterprises e de 60% para Provedores de serviços.

3ª etapa: Segurança distribuída
Com o aumento no número de dispositivos móveis de empresas e consumidores se conectando com Provedores de serviços financeiros para pagamentos digitais, a segurança distribuída (10% do mix) tornou-se primordial para manter a segurança e a conformidade dessas transações, bem como para proteger os dados.

4ª etapa: Dados distribuídos
Os Provedores de conteúdo respondem por 4% da Velocidade de Interconexão mundial, dado o crescimento exponencial no número de consumidores de conteúdo e mídia digital, que estão se espalhando por todas as regiões geográficas. Levar os dados para a edge, próximo desses usuários, atenua os efeitos da distância e proporciona a melhor experiência para o usuário.

5ª etapa: Troca de tráfego de aplicações
Cada vez mais, os Parceiros de supply chain estão aproveitando os hubs de Interconexão para compartilhar aplicações e realizar a troca de dados privados com outros negócios digitais que usam esses serviços e processos. Até 2022, eles responderão por até 2% do mix total de Interconexão, principalmente empresas.

Distribuição da Interconexão por Parceiros de ecossistema

Compreendendo o que está por trás do enorme crescimento da Interconexão privada nos setores e entre ecossistemas empresariais e parceiros do mundo todo, você pode entender melhor onde e por que a Interconexão privada está crescendo tanto. Esse conhecimento pode lhe ajudar a desenvolver sua estratégia de Interconexão privada e fazer investimentos para criar infraestruturas de TI preparadas para a era digital.

Ganhe vantagem na edge

O GXI Vol. 3 demonstra por que a transformação digital exige uma mudança no modelo de serviços de TI – que deixa de ser centralizado para ser distribuído geograficamente e regionalizado na edge – e estabelece cinco etapas essenciais que as empresas estão seguindo para alcançar esse objetivo. Nos próximos blogs, explicaremos como essas etapas podem ser colocadas em prática para preparar uma empresa para a era digital. Também falaremos sobre como implantar um modelo de Interconexão, tendo como referência a análise dos padrões de Interconexão e implantação de 450 empresas na Platform Equinix® ao longo de três anos, para que você possa realizar a troca de dados corporativos próximo aos seus clientes, funcionários e parceiros e, assim, aumentar o desempenho de negócios e proporcionar experiências de usuário excepcionais.

Até lá, confira o Global Interconnection Index Volume 3.

 

[i]Winning in Digital Ecosystems”, Digital McKinsey Insights, janeiro de 2018.
The Digitization of the World from Edge to Core”, IDC, novembro de 2018.

[ii]Pesquisa APCO Insight, patrocinada pela Equinix, agosto de 2019.

[iii]A Velocidade de Interconexão refere-se à capacidade total disponibilizada para troca de tráfego, privada e direta, com um conjunto diversificado de parceiros e provedores, em pontos de troca de tráfego de TI distribuídos dentro de data centers de colocation carrier-neutral.

Steve Madden
Steve Madden Vice President, Global Segment Marketing