Digital Corridors

Vale do Silício: O Hub da América do Norte Ocidental

Como o Vale do Silício atua como um ponto de intersecção para a troca de tráfego digital de norte a sul

Jim Poole
Alex Vaxmonsky
Vale do Silício: O Hub da América do Norte Ocidental

Os corredores digitais, onde o tráfego de dados flui entre as principais áreas metropolitanas ou entre países, estão criando novas oportunidades de receita para empresas regionais e multinacionais. Esses corredores digitais entre mercados estratégicos espalhados estão criando uma forma ampliada de conurbação, estendendo o alcance das áreas metropolitanas por rotas terrestres e submarinas que atendem países e continentes vizinhos. E assim como a expansão urbana de muitos países começou ao longo das principais rotas de transporte — rios, ferrovias e rodovias — agora estamos vendo esse mesmo tipo de urbanização ao longo das principais rotas de troca digital em áreas metropolitanas, como o Vale do Silício no oeste dos Estados Unidos, Nova York no nordeste e Washington DC no sudeste.

Também estamos vendo uma tendência interessante entre nossos mais de 10.000 clientes na Platform Equinix®, com 88% dessas empresas presentes em data centers Equinix International Business Exchange™ (IBX®) em vários mercados estratégicos. Estamos presentes globalmente nas Américas, EMEA e Ásia-Pacífico (AP), 74% de nossos clientes estão em mais de uma região e 62% em todas as três regiões.[i]

Essas tendências globais de expansão das áreas metropolitanas estão criando interessantes dependências de tráfego digital em todo o mundo. De acordo com a Pingdom, a grande maioria da fonte de conteúdo digital não é local para o consumidor, geralmente exigindo armazenamento em cache local para melhorar a performance. Como mostrado abaixo, a maioria do tráfego dos EUA tem distribuição local. O Canadá é uma mistura de distribuição local e remota. Já a Groenlândia, o México e certos países da América do Sul dependem principalmente do conteúdo proveniente dos EUA. A maior parte da EMEA consome conteúdo digital localmente. No entanto, a África e o Oriente Médio são, em grande parte, dependentes do tráfego proveniente de outras regiões, roteado dos EUA seja através de Cingapura ou Amsterdã. Além disso, a maioria dos conteúdos da Ásia-Pacífico está sendo distribuída localmente, bem como em algumas ilhas que dependem de outras fontes de conteúdo da APAC.

Entretanto, o tráfego que vem da AP para as Américas está sendo encaminhado pela Austrália por razões políticas.

Azul-escuro: 100% do conteúdo é armazenado em cache localmente.
Vermelho: 100% do conteúdo vem de outro lugar.
Outros: os tons dessas cores representam alguma porcentagem de conteúdo local e remoto.

Fonte: Pingdom

Por que escolher os data centers do Vale do Silício?

Os data centers Silicon Valley International Business Exchange ™ (IBX®) permitem que mais de 670 empresas façam parte de um rico ecossistema de conteúdo, mídia social, empresas de alta tecnologia e provedores de serviços que impulsionam e aceleram a economia digital.

Saiba Mais
silicon_valley_data_centers_map
88%

Também estamos vendo uma tendência interessante entre nossos mais de 10.000 clientes na Platform Equinix®, com 88% dessas empresas presentes em data centers IBX em várias áreas metropolitanas.

O Vale do Silício (VS) está no meio de um amplo corredor digital que se estende para o sul através de Los Angeles (LA) e para o México e LATAM, bem como para norte, através de Seattle, para o Canadá. O corredor digital da América do Norte Ocidental também tem gateways para a Ásia-Pacífico (via FASTER e Hawaiki Cable, Pacific Light Cable Network (PLCN)) e América do Sul (pelo Curie do Google) através de sistemas de cabos submarinos de LA e Seattle.

A área metropolitana do VS abriga a mais densa concentração de empresas de tecnologia (mais de 2.000), incluindo líderes como Apple, Google, Oracle e Intel. Também abriga 14 instalações de IBX da Equinix que abrangem mais de 670 empresas, incluindo 135 redes, 48 provedores de serviços de cloud (CSPs) locais e 163 empresas G2000.

O quarto volume do Global Interconnection Index (GXI) prevê que a capacidade de velocidade de interconexão privada aumentará na área metropolitana do VS em 46% ao ano (1.112 Tbps) entre 2019 e 2023. Os três principais setores verticais que impulsionam esse crescimento são Telecomunicações, Cloud e Serviços de TI e um próspero setor de Conteúdo e Mídia Digital que fornece mídia digital para a maior parte do mundo. Esse crescimento ilustra a tendência das empresas em IBXs Equinix no VS de fazer a troca direta de dados com seus fornecedores e clientes, reduzindo o uso de intermediários. Isso diminui o custo do transporte e melhora o tempo de entrada no mercado.

Seguimos no corredor digital para o sul, atravessando Los Angeles e o México… até a LATAM

A área metropolitana de Los Angeles abriga mais de 240.000 empresas, com setores robustos de Manufatura, Biotecnologia, Aeroespacial e FinTech, além de, evidentemente, um vibrante setor de Conteúdo e Mídia Digital. Os data centers IBX da Equinix LA abrigam mais de 102 serviços de rede, mais de 18 CSPs locais e mais de 90 empresas G2000. A Equinix LA também opera a 2a maior troca de tráfego por peering na área metropolitana.

O IBX LA4 da Equinix abriga alguns dos mais novos sistemas de cabos submarinos, com acesso direto ao PLCN indo para AP e a rota Google Curie para o Chile. Em 2022, o Southern Cross NEXT para Austrália, Nova Zelândia, Fiji, Tokelau e Kiribati estará localizado no campus da área metropolitana de LA da Equinix. Com uma seleção abundante de provedores de rede, acesso a cabos submarinos e atalhos para a cloud, a Equinix LA é um polo lucrativo para negócios regionais e globais ao longo do corredor digital da América do Norte Ocidental.

A área metropolitana da Cidade do México é uma oportunidade greenfield para empresas e provedores de serviços de rede e cloud se expandirem para os setores de manufatura e serviços financeiros do país. O tráfego médio de internet que atravessa as fronteiras do México totalizou 3.086 Tbps em 2020, principalmente dos EUA, o maior parceiro comercial do México. Além disso, o tráfego médio de internet que entra na LATAM cresceu 59% de 2019 para 2020, passando de 9,8 Tbps para 15,6 Tbps.[ii] Os data centers IBX da Equinix México trocam tráfego principalmente com as instalações de IBX da área metropolitana de Dallas, com uma parte do tráfego indo para o norte para os data centers da área metropolitana da Equinix LA. No entanto, espera-se um novo crescimento entre o México, o corredor da América do Norte Ocidental e a LATAM. Até 2023, o GXI Volume 4 estima que a capacidade de velocidade de interconexão crescerá anualmente na Cidade do México em 53% (209 Tbps) e 50% na região LATAM como um todo (1.479).

Movendo-se para o norte para Seattle e até o Canadá

O Estado de Washington abriga 10 empresas da Fortune 500, incluindo Amazon, Costco, Microsoft e Starbucks. Além disso, é uma incubadora para 5.044 empresas startups, com 2.286 delas dentro da cidade de Seattle. A Equinix Seattle abriga 69 redes, 13 CSPs locais e 85 empresas G2000. Nossos data centers de Seattle também abrigam os setores de Serviços Financeiros, Ciências da Saúde e da Vida e Manufatura, além de um crescente ecossistema de CSP.

As instalações de IBX da Equinix em Seattle são os polos de interconexão mais próximos entre os mercados dos EUA e AP através de rotas de cabos submarinos de alta velocidade e baixa latência para o Japão por meio da estação de cabos submarinos FASTER e acesso indireto a outras rotas de cabos submarinos, como o Southern Cross e o Hawaiki Cable, que conecta a América do Norte aos mercados da AP.

Outra região greenfield desse corredor digital é o Oeste do Canadá nas áreas metropolitanas de Calgary, Kamloops e Vancouver, onde o tráfego médio internacional de internet que atravessa as fronteiras do Canadá foi de 2.950 Tbps em 2020 (a maioria vindo dos EUA e do Reino Unido). Com a aquisição de 13 data centers da Bell Canada, além de nossas instalações em Toronto, podemos interconectar o Canadá de costa a costa.[iii]

This Western North American digital corridor also has gateways to Asia-Pacific and South America through LA and Seattle subsea landing cable systems."

Através do Pacífico e até o Japão

A área metropolitana de Tóquio é o motor da economia japonesa. O acesso entre Tóquio e o corredor digital da América do Norte Ocidental abre a oportunidade para a troca de tráfego transpacífica entre as empresas japonesas e as da América do Norte e do Sul. Os data centers da área metropolitana da Equinix Tóquio abrigam mais de 860 empresas, incluindo mais de 80 serviços de rede, mais de 12 CSPs e 160 empresas G2000. Com o crescimento dos setores de Varejo/Atacado, Bancário, Manufatura e Serviços Profissionais, bem como do acesso submarino aos mercados de Tóquio a partir dos EUA, Austrália, Rússia, EAEA e Ásia, esse corredor digital está preparado para se expandir. O GXI Vol. 4 prevê que a capacidade privada de velocidade de interconexão em Tóquio crescerá anualmente a uma taxa de 48% (1.138 Tbps). Altamente conceituada em rede, com uma taxa de penetração de 86% para conexão de internet de fibra para casa e cerca de 97% para telefone celular, Tóquio é o polo de comunicação da Internet no Japão.

A troca de tráfego de internet no corredor da América do Norte Ocidental está se expandindo em corredores digitais internacionais

Neste artigo, identificamos os corredores digitais que abrangem rotas entre as áreas metropolitanas da América do Norte Ocidental desde o México ao Canadá e estendendo-se até o Japão e LATAM.

Por exemplo, a capacidade total internacional de largura de banda do tráfego de internet em 2020 que atravessa as fronteiras dos EUA a partir dos seguintes países é exibida na tabela abaixo: [iv]


Fonte: Telegeographyiv

Seguindo os padrões de tráfego de dados em trimestres digitais na plataforma Equinix, é possível identificar onde o potencial de crescimento e as oportunidades greenfield estão em áreas metropolitanas, regiões, países e continentes. Aproveitando nossa série de publicações sobre o corredor digital e o relatório anual GXI, você pode mapear estrategicamente uma estratégia de expansão regional e/ou global para os seus negócios digitais.

[i] Equinix Q1 FY2021 Earnings Presentation.

[ii] TeleGeography’s Global Internet Geography, Mexico and LATAM, 2021.

[iii] TeleGeography’s Global Internet Geography, Canada, 2021.

[iv] TeleGeography’s Global Internet Geography, United States, 2021.

 

 

48%

O GXI Vol. 4 prevê que a capacidade privada de velocidade de interconexão em Tóquio crescerá anualmente a uma taxa de 48% (1.138 Tbps).

Jim Poole
Jim Poole Vice President, Business Development at Equinix
Alex Vaxmonsky
Alex Vaxmonsky Director, business development for global service providers