Construindo um ecossistema de manufatura para a colaboração digital

João Batista
Construindo um ecossistema de manufatura para a colaboração digital

Desde a primeira revolução industrial, com a adoção do ferro, carvão e máquinas a vapor  ressignificando a produção artesanal, muita coisa mudou na indústria global, e em um ritmo cada vez mais acelerado. De acordo com a pesquisa Benchmark iDX Business Digitalization[i], produzida pela Salesforce e IDC, vivemos hoje uma nova fase de transformação, a era da Indústria 4.0, caracterizada pelo uso de tecnologias como cloud computing, internet das coisas (IoT), big data, sistemas de conexão máquina-máquina (M2M), inteligência artificial (IA) e integração de sistemas de controle, entre outros.

Simplifique as cadeias de suprimentos para ter mais personalização e inovação

Acesse este manual (em inglês) e saiba como os líderes da indústria de manufatura podem ser mais pró-ativos na solução de ineficiências da cadeia de suprimentos, reduzindo custos e proporcionando maior personalização.

Acesse agora
Manufacturing Playbook Banner Image

Os benefícios de investir em tecnologia na manufatura são claros: redução de custos, aumento de produtividade e maior capacidade de adaptação do negócio em cenários adversos para ganhos de escala no contexto de economia digital. Para nos atermos a um exemplo recente, uma pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI)[ii] revelou que as empresas brasileiras que adotaram tecnologias da Indústria 4.0 reagiram melhor durante a crise gerada pela pandemia de Covid-19 do que seus pares.

A pesquisa da CNI mostrou também que a tecnologia menos presente no setor é o big data, adotado por apenas 6% das empresas, apesar de ser justamente uma das tecnologias recentes de maior impacto positivo na lucratividade dos negócios. Além da otimização das operações nas fábricas a partir da tomada de decisões em tempo real, a análise de dados gera insights para o negócio que podem resultar em produtos mais alinhados à demanda do mercado, com consequente resultado na eficiência e nos lucros.

Infraestrutura digital passa por ecossistemas digitais e se estende à edge

A questão central é que aumentar a eficiência das operações em fábricas e centros de distribuição a partir da tecnologia significa não apenas transformar as próprias operações do fabricante, mas também a comunicação com o ecossistema de parceiros, sejam eles B2B, B2C ou B2B2C, com a abordagem de três pontos críticos para a prontidão digital: infraestrutura digital para o core, acesso a ecossistemas digitais e à edge. Essa estratégia colaborativa requer acesso a pontos de troca de tráfego distribuídos e dados provenientes de uma variedade de fontes digitais (sensores de IoT, robótica, máquinas, softwares de empresas integrantes da cadeia de valor) com baixa latência, alta performance, segurança e análise em tempo real.

Infraestruturas tradicionais on premise, com arquitetura baseada em rede WAN, têm se tornado barreiras para suportar o tráfego do imenso volume de dados gerados e a comunicação com a cadeia de valor. Para a IDC[iii], o processamento e o armazenamento de dados não estão mais limitados a um data center central. É fundamental habilitar infraestruturas nos locais certos que permitam a colaboração com todo o ecossistema regional e global, obtendo insights baseados em dados de várias fontes digitais. Empresas de manufatura precisam inovar em velocidade inédita a fim de obter vantagem competitiva no mercado.

Estender a infraestrutura digital e ser capaz de analisar dados em tempo real requer o cumprimento de alguns requisitos prioritários: distribuir a infraestrutura de TI e estabelecer conexões diretas e privadas, aproximando-se de parceiros, fornecedores, usuários e objetos conectados na edge. A Plataforma Equinix® oferece aos participantes da cadeia de manufatura a escalabilidade, a agilidade e a flexibilidade necessárias para que tenham sucesso neste processo. A partir do Equinix FabricTM, um serviço de interconexão definido por software, disponível nos data centers Equinix International Business Exchange™ (IBX®) em São Paulo e no Rio de Janeiro, além de outras dezenas de regiões metropolitanas em todo o mundo, as empresas de manufatura podem lidar proativamente com esses novos desafios. Ao implementar sua infraestrutura core e distribuir pontos de controle de interconexão (interoperabilidade) em localidades estratégicas globalmente, conectando de forma privada e direta pessoas, locais, nuvens, dados e coisas com segurança, e permitindo uma troca mais simplificada de informações entre as várias partes/máquinas para maior colaboração, captura e análise de dados para insights em tempo real, os players de manufatura avançam no tempo e se transformam em “Digital Suppliers”.

A Plataforma Equinix® oferece aos participantes da cadeia de manufatura a escalabilidade, a agilidade e a flexibilidade necessárias para ganhar vantagem competitiva"

Crie redes virtuais em minutos

 Nesta nova era, novos ecossistemas se desenvolvem constantemente na edge. Conforme as empresas manufatureiras e seus parceiros da cadeia de suprimento se aproximam fisicamente, podem estabelecer estratégias de Go to Market para lançar produtos de maneira mais rápida e econômica. Isso é possível por meio da criação de redes de comunicação virtual, sem a necessidade de utilização de hardware e com menor investimento, integrando serviços de interconexão e edge como o Equinix Fabric e o Network Edge.

A pesquisa IDC FutureScape Worldwide IoT 2020 Predictions[ii] prevê que, até 2023, 70% das corporações executarão diferentes níveis de processamento de dados da IoT na edge. Juntas, as organizações gastarão mais de US$ 16 bilhões em infraestrutura de edge para IoT no período. Para o setor da manufatura, a estimativa da consultoria é que, em 2025, 60% dos fabricantes usarão plataformas de IoT com espaços de inovação digital para operar redes de ativos, produtos e processos digitais gêmeos para uma redução de 25% no custo com qualidade.

O Global Interconnection Index (GXI), estudo de mercado anual publicado pela Equinix, também aponta para o crescimento da transformação digital do setor: a velocidade de interconexão deve crescer a uma média composta de 36% entre 2019 e 2023 em todo o mundo.

Uma das lembranças deixadas pela pandemia aos líderes foi o que ensinou Heráclito: a única constante é a mudança. A partir de uma infraestrutura de TI distribuída e de um ecossistema de manufatura na edge capaz de gerar valor e insights valiosos para os negócios, a indústria de manufatura ganha resiliência e agilidade para desenvolver produtos que atendem com mais eficiência às demandas dos consumidores e do mercado, ainda que estas mudem em velocidade cada vez maior.

Aproveite para aprofundar seu conhecimento sobre as práticas recomendadas para impulsionar a transformação digital da manufatura, aprimorando performance, segurança e resiliência de TI por meio da infraestrutura digital, lendo o Manufacturing Digital Edge Playbook.

 

Você pode se interessar também:

5 tendências que estão moldando os serviços de rede virtual

 9 tendências que estão transformando a manufatura

 

[i] Benchmark iDX Business Digitalization, IDC e Salesforce

[ii] A indústria 4.0 e a pandemia, CNI

[iii] IDC FutureScape: Worldwide IoT 2020 Predictions

 

 

70%

É o percentual de corporações que executarão diferentes níveis de processamento de dados da IoT na edge, de acordo com o IDC FutureScape Worldwide IoT 2020 Predictions

João Batista
João Batista Senior Solution Marketing Analyst at Equinix in Brazil