Open Banking: regras claras para uma economia digital que já é “open”

Open Banking avança no Brasil e cria novas oportunidades para empresas que contam com a infraestrutura digital adequada às novas demandas

Vanessa Santos
Open Banking: regras claras para uma economia digital que já é “open”

O ano de 2021 se destaca na linha do tempo dos serviços financeiros no Brasil, já que marca estágios importantes na implementação do Open Banking. O modelo concede ao cliente a autonomia de compartilhar suas informações entre diferentes instituições autorizadas pelo Banco Central, viabilizando portabilidade e administração de contas bancárias, investimentos, empréstimos, entre outros serviços de forma facilitada.

Para cada um de nós, enquanto clientes, o Open Banking significa mais visibilidade e praticidade na gestão dos produtos financeiros e o acesso a soluções personalizadas, que poderão ser oferecidas por prestadores de serviços concorrentes. Para o sistema financeiro tradicional e outros prestadores de serviços relacionados, o modelo vai representar mais oportunidades de competitividade, ampliando a oferta de produtos e serviços para um universo bem mais amplo de clientes. Por fim, o Banco Central diz esperar, em sua página sobre o Open Banking, um aumento da inclusão bancária no país.

Soluções prontas para o digital voltadas ao setor de pagamentos

Os líderes do mercado financeiro e de pagamentos usam a Platform Equinix® para criar uma arquitetura de ponta digital distribuída que lhes dá proximidade com clientes e parceiros do mundo todo.

Saiba mais
Person paying at cafe with smart watch wirelessly on POS terminal

A praticidade, além de mais opções de ofertas competitivas, é um atrativo excepcional que a regulamentação do Open Banking trará para usuários de serviços financeiros neste estágio inicial. Em uma pesquisa realizada pelo Ipsos[1] sob encomenda da TecBan, 77% dos adultos bancarizados disseram que a oferta de pagamentos instantâneos a partir da sua conta bancária é atraente ou muito atraente, mesma avaliação de 72% dos entrevistados para um aplicativo financeiro tudo-em-um.

O processo começou com a abertura de informações das instituições sobre os canais de atendimento e as características dos seus produtos bancários tradicionais relacionados às contas, seguido pela possibilidade de compartilhamento de dados cadastrais, transações, informações sobre cartões e dados de operações de crédito, e o compartilhamento de serviços de inicialização de pagamentos com outras instituições participantes. Em meados de dezembro de 2021, entramos na quarta fase do Open Banking: o início do compartilhamento de informações sobre produtos de investimentos, previdência, seguros e câmbio, entre outros.

Open Banking significa mais visibilidade e praticidade na gestão dos produtos financeiros e o acesso a soluções personalizadas

A premissa é pensar sob a ótica do cliente

Como vem ocorrendo em diversas indústrias impactadas com a economia digital, o  princípio por trás do Open Banking emerge a criticidade em ter o cliente no papel central. Regulações como essa garantem o direito de escolha do indivíduo para determinar ou não o acesso a dados pessoais e sua respectiva finalidade, gerando ambientes mais competitivos com melhores serviços e ofertas no mercado. Especialmente na economia digital, dados e, por sua vez, acesso à informação, tornaram-se praticamente uma nova moeda. Uma forma como uma empresa pode ampliar suas ofertas neste contexto é fazer uso de modelos de competitividade não-linear, acoplando serviços de fornecedores até então concorrentes à sua própria plataforma.

Podemos fazer uma analogia quando no Brasil, há alguns anos, a Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel) determinou as regras para a portabilidade das linhas telefônicas fixas e móveis, chamada de portabilidade numérica. Se o cliente entender que uma outra operadora oferece soluções mais interessantes naquele momento, basta entrar em contato com ela, informar seus dados e em até três dias úteis a migração é concluída, sem que seja preciso mudar o número. Esse novo cenário trouxe mais autonomia e poder de escolha para o consumidor em relação aos serviços financeiros, além de acirrar a concorrência no setor.

Open Baking como ecossistema

Para oferecer serviços inovadores e customizados e, consequentemente, ter sucesso no sistema financeiro aberto, nenhuma organização pode ser uma ilha. Contar com uma infraestrutura de TI digital e dinâmica é essencial para que a empresa possa dar o passo seguinte: fazer parte de ecossistemas onde possa se ligar rapidamente a diferentes fornecedores e parceiros, onde quer que eles estejam. Quanto mais players interconectados, maior é a oportunidade de reunir percepções dos consumidores com agilidade e, então, personalizar os serviços oferecidos sem abandonar aspectos críticos de segurança.

Com o uso de ambientes tecnológicos que evoluem dinamicamente, assim como exigido na economia digital, a organização passa a ter bases para desenvolver e evoluir aplicações e serviços inteligentes, cada vez mais personalizados. Na prática, isso significa:

  • Escalar a capacidade de evolução de produtos e serviços, em compliance com demandas regulatórias e cadeia de valor
  • Ampliar, com segurança e agilidade, transações com participantes da sua cadeia de valor em ecossistemas digitais
  • Entregar experiências fluidas e personalizadas aos clientes na edge

Como se vê, o uso de tecnologia é crucial para o desenvolvimento de novos negócios viabilizados com a regulamentação do Open Banking. A infraestrutura digital é utilizada como meio de habilitar mais dinamismo, eficiência, redução de custos e transformação da oferta de serviços, gerando mais valor para o cliente.

Na prática, a plataforma da Equinix tem viabilizado o aprimoramento da prontidão digital de empresas no Brasil e no mundo que, já há alguns anos, fazem uso da infraestrutura digital estabelecendo seus ambientes core em pontos de acesso para conexão ágil e segura a ecossistemas digitais completos, muito além de provedores de serviços de rede e cloud pública, acessando de forma privada outras empresas de diversas verticais, colaborando para evolução da cadeia de valor de forma dinâmica, na velocidade do software. Tudo isso permitindo a expansão de ambientes híbridos, não só do estabelecimento do core e acesso a ecossistemas digitais, mas também viabilizando processamento na borda (edge) e personalização ao usuário.

Na Plataforma Equinix®, sua empresa pode se interconectar (estabelecer uma conexão direta e privada), na velocidade do software, e fazer negócios com qualquer outro participante presente na rede, no Brasil ou qualquer um dos mais de 26 países em que estamos presentes.

Banco BS2 cria novas ferramentas para dar mais poder de escolha ao cliente

Uma referência de empresa participante do ecossistema Equinix, que vem ampliando sua participação no mercado com vantagens digitais é o BS2, banco digital PJ, especializado em pequenas e médias empresas, que oferece soluções integradas e rápidas em um único lugar, além de crédito digital e tecnologia para automação das rotinas financeiras. Atento às inovações, o BS2 agiu rápido e ofereceu novas ferramentas aos clientes, como link de pagamento via redes sociais, PIX como meio de pagamento para pequenas e médias empresas e uma plataforma digital de crédito.

Para adequar sua infraestrutura de TI para o dinamismo da economia digital, o banco iniciou a migração dos seus sistemas transacionais para a cloud pública, e utiliza o Equinix Fabric™️, um serviço de interconexão definido por software, com alta resiliência e disponibilidade para conectar os diferentes provedores que compõem sua infraestrutura digital.

“O uso de tecnologias modernas, além de acelerar nossa estratégia de digitalização, gera maior flexibilidade tecnológica, redução de custos e integração dos serviços, possibilitando mais velocidade na criação de produtos, melhor utilização de dados e um desenvolvimento centrado nas necessidades do cliente”, afirma Fernando Radunz, CIO do BS2.

 

[1] Open Banking Brasil, Ipsos Public Affairs, julho de 2021

 

Você também pode se interessar por:

Banking as a Service para além dos Bancos

Estratégias digitais aceleram cloud, edge e ecossistemas nas Américas

Infraestrutura física na velocidade do software

O Banco BS2 utiliza o Equinix Fabric™️ para conectar os diferentes provedores que compõem sua infraestrutura digital.
Vanessa Santos
Vanessa Santos Segment Marketing Manager at Equinix Brazil